Notícias e Comunicados

O Cegecon apoia a campanha Outubro Rosa

Publicado em 02/10/2018

A Campanha Outubro Rosa surgiu nos Estados Unidos na década de 1990 e foi aderida por todo o mundo por meio de ações como corridas, desfiles de moda, iluminação rosa em monumentos importantes e atendimentos ginecológicos em unidades públicas de saúde.

A campanha visa estimular a participação da população no controle do câncer de mama. Todos os anos a campanha é realizada com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama, promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de   diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

O câncer de mama é o tipo de neoplasia que mais atinge as mulheres em todo o mundo, depois do câncer de pele não melanoma. As estatísticas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam que o câncer de mama é responsável por 28% dos novos casos de câncer a cada ano. A estimativa é de que só em 2018 sejam registrados 59,7 mil novos casos da doença no País.

Os últimos registros do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) revelam que em 2013 o câncer de mama causou a morte de 14.388 pessoas no País. Destas, 14.206 eram mulheres e 181 homens. E é justamente com o objetivo de conscientizar a população quanto à necessidade da prevenção do câncer de mama por meio do diagnóstico precoce que a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) desenvolve, ao longo deste mês, a campanha Outubro Rosa.

Em Goiânia, os hospitais públicos do Estado vão se iluminar com a cor rosa. Além disso, serão realizadas palestras sobre o tema Conscientização sobre a Prevenção do Câncer de ama e do Colo de Útero em diferentes instituições.  Também estão previstas em shoppings exposições que contam um pouco sobre a evolução dessas doenças.

O câncer de mama é relativamente raro antes dos 35 anos. Acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Estatísticas indicam aumento da sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento. Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros, não. A maioria dos casos tem bom prognóstico.

Fonte: Secretaria de Saúde do Estado de Goiás