Notícias e Comunicados

Carolyne Galvão é classificada entre as oito melhores bailarinas do mundo no Prix de Lausanne 2018

Publicado em 05/02/2018

Carolyne Freitas Galvão, de 17 anos, é bailarina do Balé do Teatro-Escola Basileu França desde 2012. Ela é uma das oito Prize Winners da 46ª edição do Prix de Lausanne 2018, na Suíça. O Prix premia bailarinas e bailarinos com bolsas integrais para estudarem balé em diversas partes do mundo, em escolas ou companhias, com liberdade de escolha para o artista. 

Durante sua participação no Prix de Lausanne 2018, Carolyne Galvão, recebeu o Prêmio da Audiência Pública, que é uma votação online entre o público que assistiu ao espetáculo em qualquer parte do mundo. Ela foi a mais votada. 

A bailarina ainda foi classificada como uma das Prize Winners e ganhou uma das Becca´s. Isso significa que no Prix de Lausanne não há 1º, 2º ou 3º lugares. Eles escolhem oito bailarinos (as) como sendo os (as) melhores do mundo. Estas oito pessoas são chamadas de Prize Winners. Esses classificados (as) ganham Becca’ s, que são bolsas de estudos ou contratos na área de ballet em escolas ou companhias de dança internacionais. Os vencedores escolhem para onde querem ir e um patrocinador do Prix de Lausanne paga a bolsa de estudos ou contratos para o aluno por um ano. 

Como finalista da competição, classificada entre as oito melhores do mundo, a bailarina Carolyne Galvão vai poder escolher onde quer estudar e dançar. Afinal, ela é uma Prize Winner do Prix de Lausanne 2018.  

Dessa forma, Carolyne Galvão encerrou sua participação na 46ª edição do Prix de Lausanne. O evento é repleto de talentos excepcionais e um dos objetivos dele é ajudar jovens bailarinos a iniciarem uma carreira profissional. 

Neste ano, a organização do Prix recebeu cerca de 380 participantes, de 38 países. 78 candidatos foram selecionados para a etapa final, em Lausanne, na Suíça, 21 chegaram à finalíssima e oito foram Prize Winners. Dentre elas, a bailarina do Balé do Teatro-Escola Basileu França, Carolyne Galvão.

Contribuição do Basileu França para os artistas 

O Governo de Goiás tem investido amplamente nas artes e na cultura do estado. Para tanto, o Instituto Tecnológico (Itego) em Artes Basileu França, uma das maiores instituições públicas da área artística no estado, tem se destacado na preparação e aperfeiçoamento dos bailarinos que se apresentam pelo mundo. 

Desde as primeiras edições do Prix de Lausanne 2018, os alunos do Basileu França competem nas etapas finais. Assim, Goiânia e o Estado de Goiás estão sendo representados pelo mundo por talentos excepcionais, como o da bailarina do Balé do Teatro-Escola Basileu França, Carolyne Galvão. 

Tudo isso representa os avanços do Estado de Goiás ao investir em músicos, artistas e bailarinos, obtendo bons resultados em competições internacionais. Além disso, caracteriza uma iniciativa de transformação social, abrindo portas para o profissionalismo artístico de grupos menos favorecidos da sociedade. 

Texto: Ellen Ribeiro